Fale conosco via WhatsApp

Quarta, 27 de janeiro de 2021
informe o texto
Menu

Easy Cuiabá 99,1 fm

NotíciasOpinião

Quatro assuntos

Quatro assuntos

01/11/2016 - 11:48

     Jornal da Inglaterra publicou matéria analisando a guinada politica no Brasil para o lado conservador. Mostra que isso ocorreu pela presença das igrejas evangélicas na política. Os evangélicos são 22% da população do país e tem uma bancada de 199 deputados em Brasília. Todos votaram no impeachment da Dilma. Os evangélicos são contra ideias mais libertárias da esquerda.

     A matéria explica ainda que a igreja não paga imposto de renda e pode financiar seus candidatos. Um esforço a mais e essa igreja poderia ter metade dos 513 deputados na Câmara. Um perigo.

     No Rio de Janeiro a Justiça suspendeu qualquer concessão de incentivo fiscal enquanto o governo não explicar como anda esse assunto. No Rio, entre 2008 e 2013, se deu 138 bilhões de reais de incentivos.

     O Rio quebrou e talvez se possa dizer que parte disso esteja no exagerado incentivo fiscal. Será que no Rio a coisa foi na banguela como tudo indica que foi também em MT? Incentivo fiscal é importante, mas tem que ter critérios.

     Em MT, Marcel Cursi, ex-secretário de Fazenda, disse em depoimento que sabia que o estado, a partir deste ano, não teria recurso para bancar suas contas por causa também dos exagerados incentivos fiscais dados.

     Apareceu mais uma proposta de ferrovia para o estado. A Ferronorte, que antes havia descartado vir a Cuiabá, fala outra vez nesse ramal e que daqui iria para o Nortão para viabilizá-la inteiramente.

     Quando se fala em ferrovia no estado o que não falta são perguntas. Esse ramal da Ferronorte até o Nortão sairia pelo Pará ou vai puxar carga dali e do Médio Norte para Santos? E aquela ferrovia das tradings, Bunge, Cargill, ADM, Amaggi e Dreyfus, entre Sinop e Miritituba? E a dos chineses?

     Recebi matéria de jornal do Peru mostrando um acordo entre autoridades daquele país e da Bolívia para a ferrovia ao Pacífico. A Bolívia não estava nos planos da ferrovia dos chineses, agora está? É tanto converseiro que a gente desconfia.

     De volta à ferrovia de Rondonópolis a Cuiabá. Ela teria mais de 200 km e custaria 1.4 bilhões de reais. O VLT em Cuiabá está orçado agora em mais de dois bilhões de reais. Tirando os 500 milhões dos vagões, os 22 km do VLT custariam mais que a ferrovia até Cuiabá.

     Eu, você, a mídia, mais o TCE, MPE, MPF, TCU, AL, ninguém percebeu nada sobre o VLT nas nossas fuças? Imagine uma obra lá onde judas perdeu as botas?

     Emanuel Pinheiro não terá nenhuma dificuldade para ter maioria na Câmara Municipal em Cuiabá. A enorme fragmentação partidária ajuda nisso. São catorze partidos ali representados – PSB, PSDB, PSD, PSDC, PT do B, PP, PROS, PRP, PV, PTC, PRTB, PSL, PSC, PR. O PV tem quatro vereadores, PSDB e PSB com três, PP e PRP com dois cada um. O PMDB e o PT não elegeram vereador na capital. A renovação naquela casa foi de 52%.

Fonte: Alfredo da Mota Menezes e-mail: pox@terra.com.br site: www.alfredomenezes.com

Centro América FM Cuiabá - Rua Marechal Deodoro, 504, Anexo 1, Santa Helena, Cuiabá - MT,
CEP 78005-100. Tel.: 65 3614-1888
Home
Sitevip Internet