Fale conosco via WhatsApp

Terça, 24 de novembro de 2020
informe o texto
Menu

Easy Cuiabá 99,1 fm No Ar: Classe Executiva

NotíciasOpinião

Não podemos ser um fazendão

Não podemos ser um fazendão

30/08/2018 - 09:35

     Documento do Imea, órgão da Famato, intitulado Outlook 2028, mostra o que a agropecuária de MT estará produzindo daqui a dez anos.

     Hoje MT produz mais de 60 milhões de toneladas de grãos. Até 2028 haveria um aumento de 68%, iria para mais de cem milhões de toneladas. Milho ultrapassará a produção de soja, saindo de 30 milhões para 52 milhões de toneladas. Soja de 31 milhões para 50 milhões de toneladas.

     Milho produz mais por hectare do que soja e, além disso, existe o incentivo da produção de etanol e farelo, vedete da agroindústria do estado. Nos EUA, como paralelo, se colhe mais de 100 milhões de toneladas de soja e acima de 300 milhões de milho. Produzem mais etanol que o Brasil. MT gostaria de seguir esse caminho.

     Algodão no estado sairia de 2.6 milhões de toneladas para mais de cinco milhões, 98% de crescimento. Hoje se abate quase cinco milhões de cabeça de gado por ano, em dez anos subiria para 7.3 milhões. Saindo de dois milhões de toneladas de carne para 3.4 milhões. Frango passaria de 500 mil toneladas para um milhão e suíno de 200 mil toneladas para 400 mil.

     Segundo o Imea, MT tem 14.420 milhões de hectares para ser incorporada à produção. Como se chegou a número tão exato? Deixa para lá. A verdade é que nenhum outro lugar no mundo tem estoque de terras que MT tem para a produção agrícola.

     Segundo a ONU a população mundial subirá de 7.3 bilhões de habitantes para 8.5 bilhões em 2030. China e Índia incorporarão milhões de pessoas ao mercado consumidor nesse período. Fala-se que o Brasil, MT na ponta, poderia suprir 40% do futuro mercado mundial de comida.

     Problemas? MT tem armazéns para apenas 36 milhões de toneladas ou 68% da atual produção. Imagine daqui a dez anos, se não se construir milhares de armazéns. E o transporte? Aquela enorme produção pode não acontecer se não tiver diferentes meios para transportá-la.

     A coluna volta a um paralelo sobre a produção de MT com a da Argentina. Aquele país, com 43 milhões de habitantes, produz hoje cerca de 55 milhões de toneladas de soja e 30 milhões de milho.

     Em dez anos ali poderá produzir 65 milhões de toneladas de soja e 40 milhões de milho. MT sozinho terá a produção inteira daquele país nesses dois produtos. Em trigo, a Argentina dá uma surra danada, mas leva outra em algodão.

     A Argentina tem 53 milhões de cabeças de gado e em 2016 produziu 2.6 milhões de toneladas de carne. Não encontrei estatística para daqui a dez anos quando MT produziria 3.4 milhões de toneladas

     A concentração de renda em MT hoje é enorme. Em dez anos será maior ainda se não se encontrar meios para distribui-la. Uma das saídas seria incentivar fortemente a agroindústria. Gera mais empregos e melhora o salário.

     O que os candidatos a governador, sem tergiversar, têm a dizer sobre a agroindustrialização no estado? Não podemos ser apenas um fazendão.

Fonte: Alfredo da Mota Menezes e-mail: pox@terra.com.br site: www.alfredomenezes.com

Centro América FM Cuiabá - Rua Marechal Deodoro, 504, Anexo 1, Santa Helena, Cuiabá - MT,
CEP 78005-100. Tel.: 65 3614-1888
Home
Sitevip Internet