Fale conosco via WhatsApp

Terça, 20 de abril de 2021
informe o texto
Menu

Easy Cuiabá 99,1 fm No Ar: Madrugada Centro América

Notícias

Exercício mental e tédio: Eddie Vedder e o verdadeiro motivo de seus pulos na plateia

Exercício mental e tédio: Eddie Vedder e o verdadeiro motivo de seus pulos na plateia

Foto: Reprodução/YouTube

Exercício mental e tédio: Eddie Vedder e o verdadeiro motivo de seus pulos na plateia

28/02/2021 - 08:30

Quem já viu filmagens de shows antigos do Pearl Jam deve ter reparado que, ocasionalmente, o vocalista Eddie Vedder resolvia se aventurar no meio da galera.

A prática acompanhou o cara por um bom tempo e claro que com a idade avançando ele acabou parando de fazer isso — mas isso não significa que ele não se lembre bem dos motivos que o levaram a começar com essa “brincadeira”.

Em uma entrevista de 2020, ele explicou como isso surgiu em uma história pra lá de curiosa:

Sabe, eu amava a música, eu amava a música ao vivo. Então eu trabalhava de graça, eu levava equipamentos durante os dias para que eu pudesse ver os shows; eu chegava a ver cinco shows em uma semana, porque eu não precisava pagar, eu trocava por levar os equipamentos.

Nessa época, eu ia para o Metro [casa de shows] em Chicago e você se via em um daqueles teatros que tinham meio que um ornamento e as cabines de reis e rainhas de cada lado e cortinas e tudo mais. Enquanto eu estou esperando pela banda, entre esperar e esperar eu costumava olhar para aquelas coisas e pensar, ‘Deve ser divertido subir essa cortina e aí pular naquela cabine vermelha do rei e da rainha. Aí dá pra ir para o meio e você pode se pendurar naquela coisa de luz, fazer umas barras e aí se jogar na plateia ali perto da mesa de som.’

Isso veio só de eu estar entediado entre shows e me dando um exercício mental. Eu nunca pensei que teria a oportunidade de fazê-lo, mas quando a oportunidade veio eu fiquei tipo, ‘Eu estou esperando por isso há muito tempo.’ [risos]

Em seguida, o apresentador Howard Stern contou como ficava sempre pensando que Vedder tinha a vida “boa demais” para ficar fazendo essas loucuras no palco, e o cantor explicou:

A gente tinha 24, 25 anos… a música era, sabe, a música era poderosa. E quer saber, eu acho que era sempre… Eu acho que eu nunca fiz nenhuma dessas maluquices doidas do [famoso dublê] Even Kneivel, exceto durante uma música chamada ‘Porch’. Toda a questão dessa música era celebrar que só vivemos uma vez. Qualquer coisa pode acontecer a qualquer momento, o caminhão de sorvete pode te atropelar amanhã, sabe? Essa era toda a ideia. Eu acho que muito da nossa música e das canções era tipo, ‘Vamos viver o momento’.

Essa era a minha maneira extracurricular de expressar o significado de uma música. É incrível que tenha dado certo tantas vezes.

Impressionante mesmo, Eddie! É uma pena para os fãs, certamente, mas talvez realmente seja uma boa ideia continuar sem fazer isso daqui pra frente.

Você pode ver a fala completa do vocalista pelo vídeo abaixo.

Eddie Vedder e seus pulos na plateia

Fonte: Tenho mais Discos que Amigos

Centro América FM Cuiabá - Rua Marechal Deodoro, 504, Anexo 1, Santa Helena, Cuiabá - MT,
CEP 78005-100. Tel.: 65 3614-1888
Home
Sitevip Internet