Fale conosco via WhatsApp

Terça, 28 de setembro de 2021
informe o texto
Menu

Easy Cuiabá 99,1 fm No Ar: Madrugada Centro América

NotíciasOpinião

A economia derruba governos

A economia derruba governos

25/07/2016 - 09:00

     Problemas na economia no Brasil derrubam-se governos. Um pouco de história para chegar ao momento atual e à presidente Dilma.

     Juscelino Kubistchek fez bom governo mas gastou muito. Houve expansão monetária e endividamento externo. A inflação começou a subir. Jânio Quadros tentou controlar gastos, não conseguiu, a inflação cresceu para 30% ao ano. Como tinha um parafuso a menos, não aguentou e foi embora.

     João Goulart assumiu num governo parlamentarista. Viu o buraco na economia, levou para Ministro da Fazenda um banqueiro, Moreira Salles. Tentou enxugar os gastos numa economia que vinha com problemas desde o final do governo JK. O Ministro não tinha apoio, se pediam sempre mais gastos.

     De volta ao presidencialismo e Goulart, para se manter no poder, abandonou o rigor fiscal para ter apoio das massas no seu enfrentamento político. A inflação cresceu e estava em média 7% ao mês. Quando foi deposto, 1964, a inflação estava m 100%. O povo foi para as ruas.

     Alguém acredita que Goulart era comunista? Era um latifundiário que, em busca de apoio político, tomou medidas populistas e nacionalistas. Nada mais que isso. Se não fosse o problema na economia, se esta estivesse bem e com ganhos para o trabalhador, teria condições de ter um golpe de estado contra ele?

     Militares no poder. Politica contracionista no inicio, apoio externo e do capital interno, e a economia teve um momento de ascensão. No final do governo Ernesto Geisel, como um dos resultados da crise do petróleo, a economia começou a ratear. Entrou João Figueiredo já com enorme problema na economia.

     A Avenida Paulista não queria ganhos menores e pressiona o governo. Tiram o Ministro Henrique Simonsen, que pedia contenções em gastos e ajustes, leva-se de volta o homem do “milagre econômico”, Delfim Neto. Depois de perder tempo, teve que tentar fazer o que Simonsen queria. O Brasil teve três anos de recessão, 1981-83, a inflação em 1984 estava perto de 200% ao ano.

     O movimento Diretas Já teve apoio por causa da crise na economia. Se esta estivesse bem alguém acredita que Tancredo Neves teria ganho no Colégio Eleitoral?

     Sarney foi um desastre na economia. Não caiu porque o país estava saindo de uma ditadura de 21 anos, não ficava bem derrubá-lo. Se não teria ido embora também. Collor de Mello ganhou em cima dos erros na economia do governo Sarney. Não conseguiu melhorar nada, arrumamos umas desculpas e o tiramos do poder. Fiat Elba e reforma na Casa da Dinda é que o derrubou? It’s the economy, stupid.

     Foram pedaladas ou o petrolão que derrubaram Dilma Rousseff? Se a economia estivesse bem, ela não sairia. Lula passou pelo mensalão porque a economia estava em ascensão.

     Criou-se no Brasil um mecanismo único no mundo para tirar presidentes ou grupos políticos do poder. Até mesmo o suicido de Vargas pode ter gancho nessa estranha invenção cabocla.

Fonte: Alfredo da Mota Menezes e-mail: pox@terra.com.br site: www.alfredomenezes.com

Centro América FM Cuiabá - Rua Marechal Deodoro, 504, Anexo 1, Santa Helena, Cuiabá - MT,
CEP 78005-100. Tel.: 65 3614-1888
Home
Sitevip Internet