Fale conosco via WhatsApp

Terça, 28 de setembro de 2021
informe o texto
Menu

Easy Cuiabá 99,1 fm No Ar: Madrugada Centro América

NotíciasOpinião

A culpa é nossa

A culpa é nossa

20/02/2017 - 10:54

     Brasília está em polvorosa. Está chegando o momento do STF decidir sobre os políticos envolvidos na Lava-jato. Empreiteiros foram presos, a classe politica tem foro privilegiado e só pode ser julgada e condenada pelo STF.

     Como é que pode ter um país em que se dá foro privilegiado para pessoas que estão perto de tantos meios para se corromper? Grandes interesses tramitam pelo Congresso e Executivo e aí se dá a simbiose entre corrupto e corruptor. O tal corruptor vai preso, o corrupto só em instância especial. O político tem que ter imunidade em seu foro privilegiado que é a tribuna, não em outros atos, ações e lugares.

     Como pode somente o empreiteiro estar preso no caso da Lava Jato? Está na cara que ele não faria o que fez se não tivesse o suporte no político, no Executivo ou Legislativo.

     Está preso o maior empreiteiro da América Latina, Marcela Odebrecht, e nenhum politico que ele corrompeu. Tem lógica um treco desses? Como é que ele e tantos outros empreiteiros pelo Brasil afora cometem ilícitos com obras públicas sem um claro suporte da classe política? Um vai preso, o outro não.

     Não sei se vai ocorrer na Lava Jato, mas em tantas outras ações os advogados descobrem um pequeno erro técnico-jurídico e anulam todo um processo contra um político corrupto. Não interessa saber se ele roubou ou não, o que se destaca é o tal erro processual encontrado.

     Como não encontraram ainda tal erro na Lava Jato estão tentando cercá-la por outros meios. Não conseguiram ainda talvez porque a mídia está de olho e o receio da classe política de povo na rua.

     Michel Temer, ao dizer que se alguém do seu ministério for citado na Lava Jato seria afastado temporariamente e que se virar réu de forma definitiva, está com receio de povo na rua.

     Se as pessoas voltarem às ruas não será apenas contra a corrupção, entraria a atuação do governo dele também. Aí mora o perigo politico num momento de reformas impopulares e de economia ainda claudicante.

     Mas voltando ao foro privilegiado. Com é que tem um povo que é contra isso e não consegue fazer a classe política ouvir esse clamor? Como e por que a sociedade não faz a classe política em Brasília seguir o que a maioria do país quer? O mais esquisito é constatar que a maioria, na próxima eleição, vota naqueles que hoje essa mesma maioria critica. Como e por que isso não muda? Como eleger tantos nomes na próxima eleição, aqui e fora, com sujeiras explícitas?

     Vem cá, a culpa é deles ou nossa? A própria classe política diz, com certo sarcasmo, que pode ser condenada pela Justiça, mas que a justiça maior é o voto do eleitor. E esse eleitor o elege na próxima eleição. Não tem alguma coisa errada com nós mesmos?

Fonte: Alfredo da Mota Menezes e-mail: pox@terra.com.br site: www.alfredomenezes.com

Centro América FM Cuiabá - Rua Marechal Deodoro, 504, Anexo 1, Santa Helena, Cuiabá - MT,
CEP 78005-100. Tel.: 65 3614-1888
Home
Sitevip Internet