Fale conosco via WhatsApp

Terça, 28 de setembro de 2021
informe o texto
Menu

Easy Cuiabá 99,1 fm No Ar: Madrugada Centro América

Notícias

Dudu Braga, baterista que trazia o pai Roberto Carlos na veia, morre aos 52 anos

Dudu Braga, baterista que trazia o pai Roberto Carlos na veia, morre aos 52 anos

Reprodução / Facebook Dudu Braga

Dudu Braga, baterista que trazia o pai Roberto Carlos na veia, morre aos 52 anos

09/09/2021 - 09:34

As flores do jardim da casa de Roberto Carlos estão tristes, inconsoláveis. Nascido com glaucoma congênito, doença que o levou à perda progressiva da visão ao longo da vida, tendo ficado irreversivelmente cego em 1994, Roberto Carlos Braga II (14 de dezembro de 1968 – 8 de setembro de 2021) morreu na tarde desta quarta-feira, aos 52 anos, na cidade de São Paulo (SP), vítima de câncer no peritônio.

 

Filho de Roberto Carlos com Cleonice Rossi (1939 – 1990), Segundinho – como também era chamado – era conhecido no meio artístico como Dudu Braga, tendo trazido para a vida adulta o apelido que ganhara ainda na infância por viver cantando música do repertório do cantor Eduardo Araújo.

 

Foi como Dudu Braga que o artista carioca atuou na música como baterista, produtor musical, dono de gravadora e radialista.

 

O artista era o baterista da banda RC na Veia, grupo de pulso roqueiro que, além de Dudu, foi criado em 2014 com Alex Capella (voz), Fernando Miyata (guitarra) e Juninho Chrispim (baixo) na formação.

 

Em 2018, ano em que Dudu Braga foi um dos convidados do especial anual de Roberto Carlos na TV Globo, no posto de baterista, RC na Veia lançou CD e DVD com registro audiovisual de show captado em outubro de 2017 em apresentação feita pela banda na cidade de São Paulo (SP), com a participação de Roberto Carlos na regravação de Se você pensa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968) e no número coletivo É preciso saber viver (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968).

 

Parceiro extraoficial do pai na criação da música Cama e mesa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1981), por ter contribuído com os versos “Todo homem que sabe o que quer / Sabe dar e querer da mulher”, Dudu Braga teve atuação longa como radialista, tendo apresentado por quase 20 anos o programa As canções que você fez pra mim, com músicas e histórias de Roberto Carlos.

 

Uma dessa histórias é que uma das músicas mais belas e tristes músicas do cancioneiro de Roberto, As flores do jardim da nossa casa, foi composta em dezembro de 1968 com inspiração no fato de o filho do cantor ter sido levado ainda bebê para a Holanda, no fim daquele ano de 1968, com 15 dias de vida, para tentar um tratamento cirúrgico – na época experimental – contra o glaucoma congênito. A música abriu o álbum lançado por Roberto Carlos em 1969.

 

A deficiência visual jamais tirou Dudu Braga de cena. Tanto que foi depois de perder a visão, aos 24 anos, que o artista cogitou abrir gravadora, se tornou radialista e virou músico, tocando bateria na banda RC na Veia, sempre com orgulho assumido de ser filho de Roberto Carlos Braga, o primeiro.

Fonte: G1 Pop e Arte

Centro América FM Cuiabá - Rua Marechal Deodoro, 504, Anexo 1, Santa Helena, Cuiabá - MT,
CEP 78005-100. Tel.: 65 3614-1888
Home
Sitevip Internet